Passar para o Conteúdo Principal

município

logo Paredes

111

siga-nos Facebook Instagram RSS feed

12 razões para sair de casa e (re)descobrir Paredes

12 razões para sair de casa e (re)descobrir Paredes
img_2013
img_2020
IMG_3053
IMG_3047
IMG_3092
IMG_3097
IMG_3066
IMG_3077
20200620_111244
casa_de_patio_1_1024_500
img_3072
img_3059
31 Julho 2020

Neste último fim de semana do mês de julho fica o convite para um passeio pelo Concelho Paredes. São 12 os motivos pelos quais não pode ficar em casa. Conheça as nossas sugestões para (re)descobrir Paredes.

A Vila de Sobrosa decorou-se a rigor com cerca de 8 mil flores de papel, tecido e plástico, um trabalho de ornamentação garantido pela população e pela Comissão de Festas local. Neste fim de semana, que seria de Festas em Honra de Santa Eulália e São Sebastião, vale a pena uma visita para ver “Florir a Avenida de Sobrosa”.


De Sobrosa passamos para o Roteiro  do Azulejo de Paredes. Os azulejos sempre foram uma expressão artística bem enraizada em Portugal. Este artefacto cerâmico multiplica-se em fachadas de edifícios, desenhando formas geométricas, adornando e proporcionando mais cor e brilho às paisagens que nos rodeiam.

Em Paredes, bem no centro da cidade, poderá partir à descoberta do Roteiro do Azulejo. A sua cidade possui um saliente património de azulejaria em diversos edifícios, igrejas e capelas. No itinerário são vários os locais que pode visitar, como por exemplo a Casa da Cultura que se caracteriza pelo seu azulejo amarelo, a Igreja Matriz de Paredes com painéis evocativos da consagração ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria, a Capela Nossa Senhora da Guia, a Estação de Caminhos de Ferro de Paredes com um painel figurativo e o Largo de Nuno Álvares com casas típicas revestidas a azulejos estampilhados a azul com motivos florais, vegetalistas e geométricos.

O azulejo está na cultura paredense. Se tem interesse por este tipo de arquitetura pode aceder ao itinerário completo através do site da Câmara Municipal e ficar a conhecer todos os recantos de azulejaria de Paredes.

No centro da cidade sugerimos-lhe que passe pela Ponte de Cepeda. Construída por um só arco de volta perfeita, esta ponte era considerada de grande importância no século XVIII pois estava associada à via que vinha da cidade do Porto para Trás-os-Montes. Na entrada da ponte, na margem esquerda, encontra-se um banco encaixado entre as guardas, que poderá corresponder ao lugar do cobrador das portagens.

De Paredes viajamos até Aguiar de Sousa. Aqui pode visitar a Torre do Castelo de Aguiar de Sousa e a Mamoa de Brandião.

Edificado provavelmente no século X, do castelo, ficaram visíveis restos de uma torre de planta quadrilátera, irregular, de construção em alvenaria de xisto e quartzito. Classificada como monumento de interesse público e integrada na Rota do Românico, esta torre foi objeto de trabalhos de conservação e valorização. Para além do melhoramento dos acessos, transformou-se a torre num varandim para a paisagem, a partir do qual o visitante, inserido num quadro onde a mãe natureza é pródiga, pode observar as escarpas quartzíticas das serras envolventes, escutar as quedas de água das levadas e presenciar o rio Sousa a confluir na direção do rio Douro.

A Mamoa de Brandião revela uma grande importância para o concelho uma vez que se trata de uma prova da presença do homem pré-histórico em território paredense. Este testemunho funerário pré-histórico serviu como marco de limite de propriedade e denominação local. A sua monumentalidade é bem visível no território e na paisagem envolvente.

Paredes é também rico pelo seu património etnográfico. Por todo o concelho existem diversos moinhos de água e de cubo, várias casas de pátio, eiras e espigueiros perdidos pelas mais belas paisagens rurais.

Os moinhos hidráulicos são visíveis ao longo das margens dos diversos cursos de água, sejam canais de rega, ribeiros ou rios e testemunham o fim do ciclo da produção cerealífera. Em Lordelo e Rebordosa poderá encontrar vários moinhos movidos a água nas margens do rio Ferreira, em Castelões de Cepeda um moinho movido pelo rio Sousa e, em Louredo, poderá visitar um moinho de cubo.

A tradição agrícola de Paredes está particularmente evidente na arquitetura popular disseminada por todo o concelho, manifesta nas casas de habitação, com destaque para a tipicidade da “casa de pátio fechada” em Alvre e Santa Comba. Estas casas rurais caracterizam-se por terem um pátio ou um quinteiro murado para onde dão todas as portas da habitação, cortes e outras dependências agrícolas. Tratam-se, sobretudo, de construções em xisto integradas nas paisagens das freguesias de Aguiar de Sousa e Recarei.

Estas são mais 12 boas razões para sair de casa com a família e amigos e ficar a conhecer Paredes. Não se esqueça de cumprir sempre as normas de distanciamento social e as regras indicadas pela Direção-Geral da Saúde.

Top