Passar para o Conteúdo Principal

município

logo Paredes

lançamento

siga-nos Facebook Instagram RSS feed

Animais de Companhia

gato em confinamento_site

 

A transmissão da COVID-19 faz-se fundamentalmente através de gotículas produzidas quando uma pessoa infetada tosse, espirra ou fala, ou por contacto das mãos com uma superfície ou objeto contaminado com o novo coronavírus e, em seguida, levar as mãos à boca, nariz ou olhos.

Agora que a COVID-19 está disseminada na população humana surge a possibilidade de alguns animais serem suscetíveis à infeção por contacto próximo com pessoas infetadas.

A nível internacional há relatos de animais testados para o vírus da COVID-19 (cão, gato e tigre) com resultados positivos. Estes animais tiveram um contacto próximo com humanos infetados. No entanto, continua a não existir, até ao momento, qualquer evidência de que os animais de companhia possam transmitir o vírus da COVID-19, mas põe-se a possibilidade do homem transmitir o vírus a alguns animais suscetíveis.

Apesar de existirem poucos elementos disponíveis e os relatos corresponderem a situações muito pontuais, devemos impedir que esta doença possa pôr em causa o bem-estar dos nossos animais e a conservação da vida selvagem.

Assim devemos assegurar alguns cuidados com os nossos animais. Não devemos tomar medidas que afetem o seu bem-estar e a relação destes com os seus cuidadores e outros humanos, e manter os bons hábitos de higiene, incluindo lavar corretamente as mãos antes e depois de lidar com eles.

Uma medida importante é evitar que nossos cães ou gatos façam passeios sozinhos, pois poderão visitar espaços contaminados ou contactar com pessoas doentes.

Podemos passear o cão desde que sejam tomados os cuidados gerais de prevenção do contágio já amplamente divulgados, nomeadamente, manter a distância recomendada de outros humanos, evitar tocar na cara, boca ou olhos e lavar/desinfetar as mãos ao regressar a casa. É ainda recomendável a higienização das patas dos animais após os passeios no exterior.

Se estiver doente com a COVID-19 deverá restringir o contacto com os animais da mesma forma como restringe o contacto com as outras pessoas.

Os animais deverão ser cuidados por outro membro da família. Se não for possível, use mascara e lave sempre as mãos antes e depois de contactar com eles. Não os beije, não os abrace e não compartilhe comida.

Cuidados médico-veterinários

Se o seu animal precisar de cuidados médicos, antes de se dirigir ao Centro de Atendimento Médico Veterinário (CAMV) estabeleça o contacto por via telefónica. Irá verificar junto com o seu Médico Veterinário qual o procedimento a adotar e, caso seja indispensável a deslocação ao CAMV, ficará a conhecer os cuidados a ter antes, durante e após a consulta.

Se estiver infetado ou em quarentena e for imprescindível que o animal se desloque ao CAMV, procure alguém que o possa acompanhar, transmita todas as informações solicitadas pelo Médico Veterinário, via telefónica, e informe que está infetado ou de quarentena. É muito importante que o CAMV saiba que irá receber um animal proveniente de um local infetado ou suspeito.

Na sequência da entrada em vigor do Estado de Emergência irá verificar que há limitações nos serviços prestados nos CAMV, o atendimento está dirigido a urgências e alguns procedimentos não urgentes serão adiados. Deverá sempre fazer o contacto telefónico prévio para diminuir a necessidade de deslocações e contacto direto desnecessário.

O confinamento

Neste contexto onde a maioria de nós está retido em casa, aproveite para conhecer melhor o seu companheiro de 4 patas e melhore a sua comunicação com ele.

Não se mostre agressivo nem utilize o castigo como resposta a algum comportamento com o qual não concorde.
Procure informação sobre como os cães e os gatos comunicam para melhorar a relação, o seu Médico Veterinário poderá ajuda-lo nesta tarefa.

Lembre-se que, tal como a nós, a alteração de rotinas pode gerar alguma frustração no seu animal, principalmente se significar reduzir a aventura de um passeio livre no exterior. Brinque com ele, treine-o e respeite o seu descanso.

Lembre-se que deverá assegurar que ele tenha uma zona da casa onde se pode retirar quando necessita de estar tranquilo. Se há crianças em casa supervisione todas as interações para que o convívio seja seguro e agradável para todos.

Há necessidades que os animais têm que deverá compreender, por exemplo, os gatos gostam de explorar os locais mais altos e de caçar, se colocar grãos de ração dentro de bolas de papel está a criar um desafio interessante para o seu gatinho.

Tem na internet muitos recursos disponíveis sobre como fazer brinquedos para os animais. Divirta-se.

A comunidade científica continua a investigar sobre este e outros tópicos relacionados com a COVID-19. Deverá procurar informação em páginas da internet confiáveis como o da Direção Geral de Saúde https://www.dgs.pt/ ou Organização Mundial de Saúde
https://www.who.int/, são entidades que estão a monitorizar a evolução da pandemia e toda a atualidade científica e vão emitindo informação atualizada.

Não divulgue informação de fonte não credível.

Fontes: Direção Geral de Saúde https://www.dgs.pt/ , Organização Mundial de Saúde https://www.who.in/, World Organization for Animal Health https://www.oie.int/, Ordem dos Médicos Veterinários https://www.omv.pt/ 

Top