Passar para o Conteúdo Principal

município

logo Paredes
siga-nos Facebook Issuu RSS feed

Governo decreta “Situação de Alerta para todo o país devido às altas temperaturas até segunda-feira”

Img 7240 1 1024 2500
02 Agosto 2018

Segundo o despacho do Ministério da Administração Interna (MAI) anunciado esta quarta-feira, o Governo determina a “Declaração da Situação de Alerta para todo o território continental até segunda-feira”, dia 6 de agosto.

Sublinha-se que o Governo decreta “Situação de Alerta”, fogo-de-artifício proibido, Ministro da Administração Interna diz que há “tolerância zero”.

O Presidente do Município de Paredes, Alexandre Almeida, anuncia que “a autarquia paredense está em vigilância máxima, através do Serviço Municipal de Proteção Civil”.

“O Município já cancelou todas as licenças emitidas de fogo-de-artificio, espetáculos habituais nas festas e romarias nesta época do ano, e reforçou a vigilância à floresta do concelho, em consonância com o trabalho que está a ser feito pelos Sapadores Florestais que estão em vigia na Zona de Influência Florestal situada entre o Alto das Cruzes, na Sobreira, e Lagares, no concelho de Penafiel”, revela Alexandre Almeida.

No Concelho de Paredes também “as corporações de Bombeiros estão em alerta máximo e a intensificar o patrulhamento das matas e florestas”, refere o Vereador da Proteção Civil, Elias Barros.

“Paredes é ainda abrangida pela atividade da Unidade do Exército que está, desde ontem, a percorrer a zona de vigilância prioritária nas freguesias de Aguiar de Sousa, Sobreira e Recarei", divulga Elias Barros.

O vereador da Proteção Civil destaca ainda “a prevenção e vigia da floresta a cargo dos jovens voluntários que estão no projeto do IPDJ e do Município”.

Segundo o pacote de medidas que consta no despacho do Governo, está proibido qualquer tipo de fogo-de-artifício, mesmo aquele que já estava autorizado. Esta medida implica ativação do grau de prontidão e resposta operacional por parte da GNR e da PSP, reforçando meios para operações de vigilância, fiscalização, patrulhamentos dissuasores de comportamentos e de apoio geral às operações.

No despacho ministerial está previsto, também, a interrupção da licença de férias ou a suspensão de folgas e períodos de descanso para as forças de segurança. haverá reforço das equipas de emergência médica, além das equipas de resposta nas áreas das comunicações e energia.

No documento do MAI está prevista a mobilização das equipas de emergência médica, saúde pública e apoio psicossocial vai ser reforçada, bem como as equipas de resposta das entidades nas áreas da comunicação (redes fixas e móveis) e energia (transporte e distribuição).

As equipas de sapadores florestais bem como o corpo de agentes florestais e dos vigilantes da natureza são mobilizadas em permanência. Os bombeiros voluntários que trabalhem na administração pública ficam dispensados do serviço para estarem de prevenção. No setor privado, a dispensa de serviço só abrange aqueles que sejam voluntários nos distritos em estado de alerta especial de nível vermelho decretado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).


Proteção Civil em alerta especial


Desde as 00:00 horas de hoje e até às 00:00 de domingo entrou em vigor o estado de alerta especial decretado pela Proteção Civil que estendeu a medida especial relativa aos meios de combate a incêndio aos distritos do Porto, Leiria, Aveiro, Braga, Viana do Castelo e Coimbra.

Estes seis distritos estão desde as 00:00 de hoje, em alerta amarelo da Proteção Civil, o segundo mais grava numa escala de quatro.

O anúncio foi feito, ontem, pela segunda comandante operacional nacional, Patrícia Gaspar, em declarações aos jornalistas na sede da Autoridade Nacional da Proteção Civil.

Ao todo são 11 distritos em alerta devido às condições atmosféricas de previsão de aumento de temperatura e da redução de "onda de calor” que está a afetar Portugal.

Refira-se estado de alerta especial do Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro, que define a "prontidão e mobilização das estruturas, forças e unidades de proteção e socorro em conformidade com os riscos associados", já se encontrava em vigor nos distritos do interior do país, que passaram, esta quarta-feira, para alerta laranja, o terceiro mais grave.

Partilhar
Top