Passar para o Conteúdo Principal

município

logo Paredes

rally

siga-nos Facebook Instagram RSS feed

Biblioteca Municipal de Paredes dispõe de edição limitada da obra "Os Lusíadas" publicada em 1880

Img 8110 1 1024 2500
Img 8102 1 1024 2500
Img 8107 1 1024 2500
Img 8108 1 1024 2500
Img 8116 1 1024 2500
Img 8118 1 1024 2500
23 Abril 2019

Celebra-se, esta segunda-feira, 23 de abril, o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor. Para assinalar a efeméride, o Município de Paredes recorda que a Biblioteca Municipal dispõe no seu acervo bibliográfico da edição n.8 da obra “Os Lusíadas” de Luís Vaz de Camões. Trata-se de uma edição limitada de Emílio Biel e datada de 10 de junho de 1880. Esta publicação é comemorativa do terceiro centenário da morte do grande poeta português e foi editada no Porto.

A Biblioteca Municipal de Paredes conta atualmente com 32 794 livros registados e “outros tantos e fase de catalogação”. Do seu espólio destaca-se ainda uma publicação de carácter religioso de 1576, considerado o livro mais antigo existente nesta biblioteca.

Neste dia de homenagem aos livros, a autarquia de Paredes agradece aos vários munícipes beneméritos que têm contribuído generosamente com doações de livros para o fundo bibliográfico da Biblioteca Municipal aumentando, assim, o espólio disponível para consulta de toda a comunidade.

Refira-se que a data que hoje se comemora tem como objetivo reconhecer a importância e a utilidade dos livros, assim como incentivar hábitos de leitura na população.

Os livros são um importante meio de transmissão de cultura e informação, e ainda, elementos fundamentais no processo educativo.

Origem da data:
“A UNESCO instituiu em 1995 o Dia Mundial do Livro. A data foi escolhida por ser um dia importante para a literatura mundial - foi a 23 de abril de 1616 que faleceu Miguel de Cervantes e a 23 de abril de 1899 que nasceu Vladimir Nabokov. O dia 23 de abril é também recordado como o dia em que nasceu e morreu o famoso escritor inglês William Shakespeare.
A data serve ainda para chamar a atenção para a importância do livro como bem cultural, essencial para o desenvolvimento da literacia e para o desenvolvimento económico”.

Partilhar
Top