Passar para o Conteúdo Principal

município

logo Paredes

site_video

siga-nos Facebook Instagram RSS feed

DISCURSO DO 25 DE ABRIL - ALEXANDRE ALMEIDA, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES

DISCURSO DO 25 DE ABRIL - ALEXANDRE ALMEIDA, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES
_dsc4941
25 Abril 2021

25 de Abril. É uma das datas mais belas da nossa história.
A história da Nação mais antiga da Europa, com 898 anos de existência.
Uma história repleta de feitos heroicos e de ciclos gloriosos, mas também de tempos menos bons e de momentos de grande dificuldade.
É a principal data das gerações que hoje fazem Portugal.
A data de uma Revolução feita com armas que tinham mais flores que balas.
A data de uma Revolução do renascimento da liberdade cantada quase em uníssimo: - o povo é quem mais ordena.
A data de uma Revolução que abriu as portas à liberdade.

Liberdade de expressão.
Liberdade de reunião.
Liberdade de imprensa.
Liberdade de associação.
Liberdade política.
Liberdade económica.
Liberdade religiosa.
A data de uma Revolução que permitiu que Portugal ocupasse de pleno direito o seu lugar na União Europeia.

A data de uma Revolução que permitiu a organização e o trabalho democrático das Juntas de Freguesia e das Câmaras Municipais.

O 25 de Abril nas palavras poéticas de Sofia de Melo Breyner:
Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo.

Senhor Presidente da Assembleia Municipal
Senhor Vice-Presidente e Senhores Vereadores
Senhores Presidentes de Junta
Senhores membros da Assembleia Municipal
Presidente da A Lord, Sr. Francisco Ramos
Alunos e professora do Coro do Conservatório de Música de Paredes e
Todos os artistas do espetáculo “Por Terras de Zeca” que vão participar na atuação já de seguida
Técnicos e Funcionários da Câmara Municipal envolvidos na organização deste evento
Minhas senhoras, Meus senhores, Paredenses

Comemoramos o 47º aniversário do 25 de abril ainda com muitas restrições por causa da pandemia COVID 19.
Uma pandemia que se constituiu na mais grave crise sanitária depois da gripe espanhola de 1918.
Crise que da saúde se estendeu à economia mundial e ao sistema social.
Devemos também hoje lembrar que as crises têm associadas a si um conjunto de riscos extremos, mas também novas oportunidades de vida, de avanço e de desenvolvimento sustentado.
Lembro aqui os que faleceram e os que hoje sofrem as sequelas desta doença.

Agora, apesar da imprevisibilidade deste vírus, é possível ver luz ao fundo do túnel. É a hora de pensarmos as oportunidades que temos pela frente.
No fim desta crise queremos recuperar o tempo perdido para chegar mais longe que nunca.
Alguns falam de voltar ao passado que tínhamos.
Nós falamos de chegar mais longe.

A União Europeia disponibilizou verbas que o nosso Governo enquadra no denominado PRR- Plano de Recuperação e Resiliência.
Uma das principais preocupações dos próximos tempos é, por parte da Câmara, das empresas e instituições do Concelho, aproveitar ao máximo as verbas disponíveis desta famosa bazuca.
O desafio é grande. A vontade de vencê-lo deve ser total.
O País e o nosso Concelho, nestes 47 anos, cresceram e desenvolveram-se em todos os sectores.
Pensemos nas autoestradas e vias rápidas. Lembremos a habitação quer em termos de quantidade, quer em condições das casas. Olhemos para o ensino e para as nossas escolas. Vejamos os apoios sociais e as estruturas públicas e privadas de saúde.
Em 47 anos passamos de um país humilhado, pobre, desanimado e triste para um país avançado e com progresso.
Todos os dados, todos os indicadores mostram o salto quantitativo e qualitativo que Portugal deu nestes 47 anos.

Mas persistem muitos problemas!
Persistem ainda muitas situações de miséria e pobreza.
Existe desemprego.
Existem muitas carências e necessidades.
Persistem muitos problemas à espera de resposta.

Mas podemos falar, debater, contrapor, combater e avançar para encontrar soluções.
Podemos escolher alternativas, votando livremente para mudar ou consolidar os que melhor correspondam às nossas expetativas.
Podemos participar livre e ativamente na vida da nossa sociedade.

Minhas senhoras
Meus senhores
Paredenses
O 25 de Abril abriu as portas ao poder autárquico.
O trabalho e a proximidade às populações
das Câmaras Municipais e das Juntas de Freguesia
é um dos mais belos frutos da revolução de Abril.

Nos últimos três anos orgulhamo-nos do trabalho feito.
A Câmara Municipal iniciou um processo de equilíbrio da sua situação financeira. A credibilização das contas municipais é hoje uma realidade muito positiva que transmite esperança no presente e no futuro.
1- Lançamos uma frente de obras como muito provavelmente o Município de Paredes jamais teve.

2-Reforçamos o papel das Juntas de Freguesia como o poder mais próximo dos Paredenses, atribuindo-lhes recursos financeiros.

3- Apoiamos as nossas Instituições na cultura, no desporto, na educação e na solidariedade social.

4-Enfrentamos com humildade, mas também com coragem, problemas graves como a questão escandalosa da concessão da água e saneamento no nosso concelho. Sim, vamos ter Serviços Municipalizados da Água e de Saneamento no nosso Concelho.

5-Temos consciência do trabalho feito, sem esquecer o muito que falta fazer por todo o nosso Concelho.

Importa referir que somos um grande Concelho da Área Metropolitana do Porto e do Norte do País.
Um Concelho com um sector industrial forte, cada vez mais moderno e capaz.
Um Concelho com valor no que diz respeito à agricultura.
Um Concelho que tem condições ímpares para continuar no caminho do progresso, do desenvolvimento sustentado e da qualidade de vida.
Um Concelho aberto ao mundo e ao futuro.

Um Concelho que queremos transformar na melhor das terras para se viver, trabalhar e estudar.

Um Concelho que sabe que sem a democracia e sem a liberdade económica e política que o 25 de Abril garantiu, não seria o que hoje é.

Este é momento para se dizer:
VIVA O 25 DE ABRIL
VIVA O NOSSO CONCELHO DE PAREDES
VIVA PAREDES
VIVA PAREDES
VIVA PORTUGAL

Top