Passar para o Conteúdo Principal

município

logo Paredes
siga-nos Facebook Issuu RSS feed

Debates

Debate "Paredes aposta nos 12 anos de escolaridade"

1População paredense envolveu-se na defesa dos 12 anos de escolaridade “Paredes é um exemplo”

A Câmara Municipal de Paredes e a Associação Paredes Pela Inclusão Social (APPIS) levaram a cabo o debate “Paredes aposta nos 12 anos de escolaridade”, em colaboração com os Empresários Pela Inclusão Social (EPIS).

A iniciativa, que decorreu nas instalações de “A Celer”, em Rebordosa, no dia 16 de Fevereiro de 2008, contou com as presenças do presidente da Câmara Municipal, Celso Ferreira, do responsável pela APPIS, comendador António Rocha, do presidente da EPIS, João Rendeiro, do diretor-adjunto da DREN, António Leite, e dos convidados David Justino, professor na universidade Nova de Lisboa e conselheiro do presidente da república, José Manuel Canavarro, pró-reitor da universidade de Coimbra e presidente do Conselho Científico da EPIS, bem como, vereadores, outros autarcas, professores, pais, alunos, mediadores, tendo sido moderada pela jornalista Fátima Campos Ferreira.

De acordo com o autarca, Celso Ferreira, a ideia do debate “Paredes aposta nos 12 anos de escolaridade” está alicerçada na preocupação de uma permanente reflexão acerca da problemática. O autarca sublinhou que o diagnóstico do concelho, no que respeita ao insucesso e abandono escolares era bastante pessimista e que este cenário tinha que mudar. Recorde-se que o executivo a que preside defende que “o futuro não se prevê, prepara-se”, por isso confidenciou que “tenho uma fé imensa neste projeto”.

Celso Ferreira adiantou que no âmbito da Carta Educativa vão ser abertos os concursos para sete novos estabelecimentos de ensino.

O responsável pela EPIS, João Rendeiro, felicitou o grupo empresarial de Paredes e a sociedade civil pela resposta ao desafio lançado. Deseja que a “inclusão social em Paredes seja melhorada de forma significativa”.
David Justino levou ao debate a visão de quem faz investigação e de quem já elaborou políticas educativas. Defendeu que é fundamental adotar os 12 anos de escolaridade obrigatória e que o Estado tem um papel fundamental na criação de condições, para que tal seja uma realidade.

Referiu que as causas do abandono escolar têm que ver com a decisão do próprio indivíduo, tendo forte influência o contexto familiar, social e cultural. “Uma boa ou má escola é importante para o futuro dos jovens e, também, para a atitude que querem ter na vida”.

David Justino considera que o mercado de trabalho tem uma importância crucial no que respeita ao abandono escolar. Sublinhou que “tem que se pedir ao mercado de trabalho para não favorecer o emprego precoce”. Avançou que o concelho de Paredes foi o que mais cresceu em termos de desenvolvimento económico e que é necessário que a qualificação de mão-de-obra não seja um travão.

2Para José Manuel Canavarro qualquer abordagem que se faça às questões educacionais “é sempre incompleta”. “Os pais devem ir à escola falar com o diretor de turma”, afirmando que é extremamente relevante falar sobre a escola, participar ativamente na vida escolar. Para aquele responsável “Paredes é um exemplo de capacitação familiar”. Considera que é possível fazer política de capacitação, com apoio das autarquias, instituições e famílias.

Segundo Diogo Simões Pereira, diretor-geral da EPIS, “o objetivo é promover o sucesso escolar, com aposta na proximidade”. Realçou que o trabalho dos mediadores passa por duas fases: a seleção dos jovens e o respetivo acompanhamento. De referir que, em Paredes a primeira fase está concluída. Avançou que, em 2009, vão ser medidos os resultados quantitativos, com base nos indicadores do Ministério da Educação. “Queremos que a posição de Paredes melhore no próximo ano letivo”. Concluiu que no concelho a retenção média no 3.º ciclo é de 24,9% e que se pretende, dentro de dois anos, que este valor seja reduzido para metade.

Refira-se que o debate em defesa dos 12 anos de escolaridade revelou-se um sucesso. O auditório de “A Celer” encheu na sua totalidade. A população paredense envolveu-se na defesa dos 12 anos de escolaridade. Não faltaram, de resto, elogios ao trabalho desenvolvido pelo Executivo liderado por Celso Ferreira, na aposta nos 12 anos de escolaridade, quer das associações de pais presentes, quer de outros intervenientes que reconhecem que de facto “Paredes está no bom caminho”.


 

Debate "Empreendedorismo"

4Falar de empreendedorismo é falar da capacidade humana de suplantar limites. É falar, também, de conhecimento, inovação, sabedoria, visão, ousadia e coragem.
Neste debate, o segundo que a APPIS realizou em parceria com o município de Paredes, pretendeu-se debater todos estes conceitos e a forma como, interligados, podem tornar a sociedade mais competitiva.
Decorreu no dia 3 de Dezembro, pelas 18 horas, na Casa da Cultura de Paredes.

 

 

O debate contou com a presença de:

  • Peter Kelly – Helsinki Scholl of Creative Entrepreneurship,
  • Vitor Figueiredo - Direção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular do Ministério da Educação
  • Miguel Monteiro - Introduxi - Computadores, Multimédia e Serviços, S.A.
Partilhar
Top