Passar para o Conteúdo Principal

município

logo Paredes

tomadaposse

siga-nos Facebook Instagram RSS feed

Festival de Artes em Madeira anima Paredes, de 24 de setembro a 9 de outubro

Festival de Artes em Madeira anima Paredes, de 24 de setembro a 9 de outubro
20 Setembro 2022

A 1.ª edição do Festival de Artes em Madeira de Paredes realiza-se de 24 de setembro a 9 de outubro, com 16 dias de pura criatividade, que cruzam roteiros, exposições, oficinas artísticas de escultura e da arte da talha, dança, música, teatro, fotografia, escultura, performance, entre outras atividades.

O Presidente da Câmara Municipal de Paredes, Alexandre Almeida, salienta que “neste festival procuramos homenagear todos os mestres e artesãos que estão de certa forma ligados às artes da madeira e do mobiliário. As mãos dos entalhadores, dos carpinteiros, dos torneiros, dos escultores de madeira moldam a identidade e a indústria de Paredes. Quisemos também perpetuar a memória das carreteiras, as mulheres que transportavam os móveis às costas, desde o território de Paredes percorrendo estradas e caminhos até ao grande Porto. Procuramos também dar a conhecer a evolução da indústria do mobiliário de Paredes que concentra mais de 64% das exportações nacionais de móveis.

Assim sendo, com uma programação diversificada, durante 16 dias de Festival das Artes em Madeira de Paredes, com espetáculos, exposições, roteiros e oficinas espalhadas pelas várias freguesias do concelho, pretendemos envolver toda a comunidade paredense e atrair mais visitantes ao nosso território.”

A Vereadora da Cultura e do Turismo, Beatriz Meireles, sublinha que o evento conta com “uma programação diversa, que procura valorizar as artes em madeira e os seus protagonistas que, de certa forma, contribuem para escrever a história de Paredes. Em diferentes disciplinas artísticas, homenageamos artesãos e artistas, escultores e entalhadores, músicos, pensadores e as mulheres carreteiras.”

Com esse objetivo, o festival propõe “espetáculos que convocam abordagens e linguagens menos convencionais e em formatos inusitados. É também um circuito de cultura e arte realizado através da distribuição criteriosa de eventos pelas freguesias do concelho, permitindo que se sinta a essência de cada uma e se viva o contributo nas artes em madeira”, refere Beatriz Meireles.

A abertura da 1.ª edição do Festival de Artes em Madeira de Paredes (FAMP) acontece, dia 24 de setembro, às 8h30, com o primeiro de quatro roteiros temáticos pelo território que levam os visitantes a “viajar pelo mundo da madeira e do mobiliário em Paredes”.

Os roteiros são gratuitos, limitados à inscrição prévia no site festivaldasartesemmadeiradeparedes.pt ou formulário no site do Município de Paredes.
O roteiro de dia 24 de setembro começará no Centro de Formação Profissional das Indústrias da Madeira e Mobiliário (CFPIMM), em Lordelo, onde será feita a contextualização do processo evolutivo desta atividade, até ao presente, demonstrando a importância e o contributo da indústria do mobiliário para a afirmação da identidade do concelho de Paredes.

Seguimos até Rebordosa ao encontro da história da indústria do mobiliário em Paredes, com a dinamização da visita à empresa produtora de cadeiras, Fenabel, onde está patente uma exposição de pintura de Agostinho Santos, com curadoria de Valter Hugo Mãe, comemorativa dos 100 anos de Saramago. A exposição pode ser visitada, para além do momento inaugural (dia 24, às 11:00 horas), entre as 14h e as 17h nos dias, 30 de setembro, 7, 14, 21 e 28 de outubro.

Os percursos, com duração de cerca de 4h30, procuram enquadrar a história da indústria do mobiliário numa ligação do visitante às artes e ao território.

O segundo roteiro, no dia 1 de outubro, prevê a visita a uma oficina da talha e igreja onde se destaca a Arte Sacra. O percurso dá a conhecer o trabalho da talha ou da escultura na madeira, fazendo um enquadramento do funcionamento de uma oficina, apresentação das tipologias da madeira, técnicas e ferramentas usadas e algumas terminologias associadas ao ofício. Os participantes terão a oportunidade de “meter a mão na madeira e nas ferramentas” para experimentarem o ofício da talha. Segue-se a visita à igreja local de Louredo para contemplar a talha dourada.

O itinerário do terceiro roteiro, dia 2 de outubro, contempla a Rota dos Engenhos e dos Serradores para um curto percurso por uma área de floresta, onde podemos encontrar a matéria-prima para a indústria do mobiliário, passando pelos engenhos hidráulicos para conhecermos a história e evolução da serração da madeira, passando pelas caldeiras a vapor até à energia elétrica no concelho de Paredes. Serão ainda visitadas duas instituições de eletrificação existentes em Lordelo e Rebordosa.

O quarto roteiro, no dia 8 de outubro, explora o percurso do “Tronco à Cadeira”, onde os participantes são convidados a recuar no tempo, voltando ao início do trabalho da madeira em Paredes, quando as cadeiras eram dos produtos mais produzidos no território. A figura da Carreteira, mulheres que transportavam as cadeiras à cabeça e às costas, é também aqui motivo de evocação e homenagem.

Pensando no serviço do território e na democratização do acesso à arte, as “Parcerias Criativas”, a matriz deste festival, surgem na programação do FAMP, com exposições que resultam da interação com o artista convidado - Luc Lavault e quatro duplas criativas entre artesãos e artistas: Leonie Kohut e Paulo Moreira, Cláudia Ribeiro e Maria Clara Leal, Arlindo Moura e José Augusto Machado, Adriana Pacheco e Rita Silva (Rita do Serrador).

O Festival de Artes em Madeira de Paredes acolhe, assim, quatro colaborações a decorrer durante todo o festival, com o objetivo de incentivar o diálogo artístico, a partilha de técnicas e de experiências. “Questionam-se as fronteiras entre artista e artesão”. Os trabalhos finais estarão em exposição, na Casa da Cultura de Paredes, a partir do dia 8 de outubro.

O primeiro dia do festival vai “à praça” com a inauguração da instalação artística do autor austríaco Patrick Hubmann, prevista para as 16h30. O Parque José Guilherme acolhe a criação “A Praça é Nossa”, projeto participativo da comunidade cigana de Paredes, que teve como mote pensar o espaço público como lugar de encontros e desencontros, espaço físico de partilha e de momentos especiais.

De História e identidade de espaços e objetos e de celebração e partilha se faz a 1.a edição do Festival de Artes em Madeira de Paredes (FAMP) que conta ainda, no Parque José Guilherme, a fechar o primeiro dia, com a performance VOID [Vazio], teatro de Rua e Novo Circo, direção artística de Paulina Almeida e o despique entre as Bandas Filarmónicas de Vilela e de Cête.

Na abertura do segundo dia do Festival de Artes em Madeira (25 de setembro) destacam-se as exposições de Fotografia e de Escultura, trabalhos que são o resultado do concurso e que podem ser apreciados na Casa da Cultura de Paredes.

A 27 de setembro, numa parceria com os Amigos da Cultura de Paredes, decorre a sessão de poesia “Marcenaria de Versos” com Isaque Ferreira, Rui Spranger.
Já no dia 28, acontece a Masterclass de Nyckelharpa, com Vicki Swan, numa parceria com o Centro Português de Nyckelharpa.

O dia 30 está destinado ao seminário “A Madeira do Som, O Som da Madeira”, na Casa da Cultura de Paredes. 6 oradores são convidados a partilhar o seu trabalho em torno dos instrumentos de madeira. A sessão será dividida em dois momentos: “A Madeira do Som – dedicado às técnicas de construção de instrumentos de madeira” e o “O Som da Madeira – dedicado à recolha e ao registo da música tradicional”, com a abertura a cargo do Presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida, e encerramento da Vereadora da Cultura e Turismo, Beatriz Meireles. Para além disso, Cristiano Marques da Costa, investigador e Amigo da Cultura de Paredes, fará uma contextualização histórica das Artes em Madeira do concelho.

O dia 30 é ainda dedicado às Oficinas da talha e da escultura, com 8 participantes cada, sujeito a inscrição prévia.

O ponto de encontro do dia 1 de outubro é Aguiar de Sousa, Parque Natural da Senhora do Salto, às 10h00, para explorar com Mariana Amorim a oficina do movimento “da profundidade da raiz à queda da folha”. Da mesma autora, às 14h30, e ainda em Aguiar de Sousa, na Senhora do Salto, parte-se para a oficina e composição coreográfica “A Floresta Dança”.

A fechar a programação de dia 1 de outubro, às 21h30, na Alameda de S. Pedro em Sobreira, há jazz com o concerto da Paredes Big Band.
No dia 2, às 11h00, na Biblioteca de Rebordosa, está prevista a performance sonora e poética para famílias com “O Som do Algodão”. CUMULUS é um espaço de partilha que usa como ponto de partida “O Jogo das Nuvens” de Johann Wolfgang Goethe. Às 16h00 é a vez do Centro Paroquial de Gandra receber o espetáculo “Histórias com Música lá Dentro” com O Som do Algodão.

O Conservatório de Música de Paredes realiza um concerto às 21h00 do dia 4 de outubro, na Igreja de São Cristóvão de Louredo, dando foco aos instrumentos construídos com madeira que remontam a tempos imemoriais e que sempre fizeram parte do universo e da história musical. Este concerto contará com a apresentação de professores, alunos e ensembles instrumentais da família das madeiras do Conservatório de Música de Paredes.

No feriado de 5 de outubro celebram-se as “Danças Tradicionais do Mundo” com a oficina de Dança de Rute Mar, às 10h30, a acontecer no palco do Pavilhão Multiusos de Astromil.

A “Masterclass de Percussão”, com Luís Bittencourt, está agendada para 6 de outubro, às 15h00, no Conservatório de Música de Paredes. Nesta masterclass de percussão serão invocados os ritmos tradicionais da música brasileira, instrumentos utilizados, técnica, fraseado e sonoridade, improvisação e dinâmicas de grupo, repertório.

Às 21h00, na Casa da Cultura, sobem ao palco as “Memórias Líquidas” num concerto de Luís Bittencourt, “um espetáculo sonoro e visual hipnotizante, que apresenta a água como instrumento musical. Elemento precioso para a vida humana, a água torna-se objeto de exploração artística do percussionista Luís Bittencourt, que procura desvendar o seu verdadeiro potencial”.

A música encerra os 16 dias da 1.ª edição do Festival das Artes em Madeira de Paredes.

Dia 8 de outubro, às 21h30, o Parque José Guilherme acolhe o concerto dos Galandum Galundaina. No último dia do evento, 9 de outubro, às 21h30, também no Parque José Guilherme, atuam em concerto o Bando das Gaitas.

Top